O PAI NOSSO… É O NOSSO PAI

O Pai nosso não é uma reza; é o trilho por onde o trem da fé conduz os filhos do Eterno através de cada estação de intimidade. É a viagem de relacionamento por meio da boa e agradável vontade divina. O Pai nosso é o modelo do encontro em oração, face a face.

Este é um diálogo em que se anda pelas estações de paragem. E cada parada é a opção livre para meditação. Nenhum filho do Aba precisa ser repetitivo, mas deve sempre vir aos mesmos lugares e contemplar as riquezas insondáveis da Paternidade Divina.

Vamos andar por cada uma destas estações fazendo os nossos apontamentos. Esperamos que vocês usufruam deste amor incondicional.O Pai é nosso. Não é Pai de um filho único e birrento. É Pai de uma coletividade que se congraça e se congrega, mas não veremos isto agora, mais adiante, em outro texto, analisaremos esta conjuntura familiar.

Jesus propôs: – o único que santifica o Nome é o nosso Pai. O Pai é membro da Trindade, feitora do universo todo. É o Deus único, mas coletivo, Criador da raça humana, feita à Sua imagem e semelhança, embora, o Pai nosso seja Pai apenas da família que tem a Sua origem, Seu modo de ser e de viver em amor. O Pai é amor e os filhos têm esse DNA.

É preciso não confundir o Deus Criador de todos os homens, com a nosso Pai que está nos céus e nos Seus. É preciso, também, compreender a figura do Pai estando nos céus e habitando nos Seus. Como pode o absoluto Criador dos céus habitar nos céus? Como é possível o infinito morar num ambiente finito e ainda assim não ser contido por ele?

Deus é antes dos céus e, mesmo assim, habita na criação, transcendendo-a. Agostinho tentaexplicar:

Deus é como um círculo cujo centro está em todos os lugares e a sua circunferência não está em lugar nenhum”.

Isso é pretensão de explicar o inexplicável.

Mas, no mínimo, é surpreendente observar o Google, quase onipresente na rede mundial de comunicação e a atitude da turma que duvida da onipresença Divina. Fico com a pulga atrás da orelha, achando que tudo isto tem a ver com o silvo da serpente no Éden.

O fato bíblico é que: nosso Pai está os céus; nos três céus: o céu da atmosfera, o das estrelas e o céu dos céus, na infinidade que nossa mente não consegue perscrutar. É nessa dimensão que o espiritual ganha sentido. Por isso, os filhos do Pai, de joelhos e bem contritos, podem trazer os céus da comunhão com o seu Pai para o terreno das aflições.

Samuel Chadwick afirmava:

A única preocupação do diabo é impedir o crente de orar. Ele não teme estudos, trabalho e religião sem oração. Ele ri de nossa labuta, zomba de nossa sabedoria, mas treme quando oramos.”

Treme quando oramos: Pai nosso que estás nos céus… ninguém pode ser mais forte no mundo do que os filhinhos impotentes do Abba, embora dependentes totalmente da onipotência do Pai, Todo-Poderoso. Esta é a receita de confiança do bebê. Temos um Pai que nos ouve.

Do velho mendigo, GP.