O ESPÍRITO DA CRUZ .142 – NÃO É MAIS COMO PIRANHA, MAS COMO TAINHA

Estou ao ar livre na Chalana Celebridade onde vim pescar com um grupo de irmãos e amigos no Pantanal mato-grossense, tendo oportunidade de me desligar do dia a dia de cada dia. Sem Wi-Fi, sem internet, sem qualquer distração eu posso ver a natureza em sua beleza exuberante e poder usufruir um pouco deste paraíso brasileiro.

Gosto da natureza e gosto de pescar, ainda que eu não seja um pescador. Já tive traia, mas a traia envelheceu e agora pesco com a traia dos meus amigos. Levo o básico do básico e eles me equipam com tudo o que preciso para pescar. Sei que este não é o modo certo de agir, mas foi o que mais me adaptei neste últimos anos sem a expertise para poder adquirir equipamentos modernos de pescaria. Há muita novidade nessa área.

Mas o que gosto mais de fazer é pescar gente. Jesus nos chamou de fato para ser pescadores de homens. E a técnica de pescar gente é muito parecida com a de pescar peixe. Bons instrumentos de pescaria, boas iscas, bom piloteiro, paciência e disposição.

Pescar gente é uma arte da graça. Não se pode ser afoito. A paciência é um dos principais requisitos depois do piloteiro ou a pessoa que conduz o pescador aos lugares onde estão os peixes. Não adianta ter varas de titânio ou carretilhas super dimensionadas, se não houver peixe, nada feito. No caso da pescaria espiritual, o Espírito Santo é o piloto.

Precisamos que o Espírito nos conduza aos lugares onde estão as vidas que Ele quer pesca-las. Muitos se preocupam tanto com os equipamentos, mas esquecem do bom relacionamento como o Piloteiro. Estes são aqueles que têm uma traia moderna e técnica de primeira, embora não chegam aos poços onde estão os peixes, porque não têm a menor intimidade com o Espírito de Cristo. Quando muito só pescam piranhas. Piranhas?

Na língua tupi-guarani piranha significa peixe do maligno. Há alguns peixes que são nobres, mas há peixes que nada acrescentam ao currículo do pescador. O mesmo pode acontecer quando enchemos a igreja de filhos do maligno, achando que são filhos de Deus.

A pescaria no Reino de Deus tem a ver com piranhas convertidas em dourados. Pesca-se filhos do maligno e coloca-se no barco filhos de Deus. Entre a fisgada do peixe e o embarque há um milagre, isto é, a transformação de um bagre numa pirarara. O que estou falando chama-se de metanoia, mudança de mentalidade ou ainda nova criação.

A pesca de gente tem como alvo a mudança de confiança. Antes, como um filho do maligno eu confiava em mim. A autoconfiança é uma característica do homem adâmico, portanto, se confiarmos em nós mesmos estamos perdidos eternamente. Porém, quando nós somos, de fato, convertidos pelos Espírito Santo, passamos a confiar apenas no Alto.

A vida cristã é mais do que mudança de comportamento: é Cristo vivendo em mim. Agora, figurativamente, não é mais como piranha, mas como tainha.

Um comentário sobre “O ESPÍRITO DA CRUZ .142 – NÃO É MAIS COMO PIRANHA, MAS COMO TAINHA

  1. Deus seja glorificado!!! Pela fé, Cristo Jesus habita em mim!! A obra de Cristo é perfeita e nos alcança em nossa imperfeição, tornando-nos completos nele!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s