O ESPÍRITO DA CRUZ .138 – O CIÚME DISFARÇADO DE BOM MOÇO

Se você ama de verdade não tem ciúme, se tem ciúme não ama, você somente quer possuir a pessoa que diz amar. O amor cuida e zela, mas não sente ciúme. Uma pessoa zelosa protege a quem ama, todavia não tenta possuir o objeto do seu amor.

O ciúme é uma marca profunda de insegurança do apaixonado. Ele nasce de um sentimento possessivo de paixão, mas nem sempre morre quando esta se desvanece, pois suas raízes estão mais arraigadas no egoísmo do que no afeto. E como diz Stendhal, “o que torna a dor do ciúme tão aguda é que a vaidade não pode ajudar-nos a suportá-la”.

William Shakespeare dizia que “os ciumentos não precisam de motivo para ter ciúme. São ciumentos porque são. O ciúme é um monstro que a si mesmo se gera e de si mesmo nasce”, mas nasce da falência de si mesmo. O ciumento não é quem gostaria de ser e tem medo de que o outro, por quem nutre ciúme, não o ama como ele é.

Alguém disse que “o ciúme é o germe do ódio na paixão; mata-alentamente, fere-a sempre”. Ninguém pode amar e odiar ao mesmo tempo o mesmo sujeito, mas pode ser apaixonado de tal modo, que a sua paixão inocula raiva no relacionamento.

Há também o ciúme em razão do mérito. Muitas vezes admiramos tanto alguém que vai além da nossa capacidade e isto causa inveja. Como não somos capazes de superar esta pessoa, nas suas qualidades, travamos uma guerra interna de superação e boicotes. Assim, “a inveja fornece a lama que o fracasso atira contra o sucesso.”

O apóstolo Paulo diz algo muito curioso: agora, suplico a Evódia e a Síntique: tendo em vista que estão no Senhor, resolvam seu desentendimento.Filipenses 4:2 (NVT). O que seria isto? Se estão no Senhor, o que levava a este desentendimento?

Estas duas senhoras da igreja em Filipos já haviam trabalhado em concordância com o apóstolo, mas agora estavam em desavença na igreja. A Bíblia não diz o motivo de tal discórdia, mas pode ser o ciúme. Evódia é um nome que significa fragrância agradável, enquanto que Síntique fala de alguém com destino. Muitas vezes o nome na cultura antiga trazia os traços da personalidade. Seria isto, uma disputa de ciúme entre elas?

Não podemos saber. Porém, “o apóstolo usa a palavra implorar duas vezes para mostrar que a exortação é dirigida tanto para uma quanto para a outra. Paulo pede que elas tenham a mesma mente no Senhor”. Os ciúmes são obras da carne e, se estamos na carne, é impossível harmonizar o bom perfume com o destino da vida cristã.

Alguém disse: “o ciúme é a matéria-prima do homicídio.” Nós matamos nossos relacionamentos se nutrirmos sentimento de rivalidade. “Muitas coisas agradáveis passam ao largo da vida quando o ciúme assume o poder.” Agora, veja bem, todo o cuidado é pouco com este tema, pois o ciúme muita vezes vem disfarçado de bom moço… que tal?

O ESPÍRITO DA CRUZ .137 – MARCAS DE UM CRISTÃO – 2

No último artigo vimos 3 características de uma nova criatura, segundo a Bíblia. O nascido de Deus é alguém justificado que vive na justiça do seu Pai, o Deus justo. É nova criatura que não vive na prática do pecado e que ama com o amor de Deus, não apenas ao próprio Deus, mas uns aos outros. O amor é a marca registrada do discipulado cristão.

Se somos filhos de Deus somos filhos do Amor. Deus é Amor e amou o mundo, mas não ama o pecado do mundo. Se nós realmente nascemos de Deus, então vamos amá-Lo. E não só isso, vamos amar seus filhos também. É bom notar aqui que devemos amar todos os crentes, e não apenas aqueles com quem temos uma certa comunhão pessoal.

O apóstolo João afirmou que todo aquele que crê que Jesus é o Cristo é nascido de Deus; e todo aquele que ama ao que o gerou também ama ao que dele é nascido.1 João 5:1. Aqui fica claro uma quarta característica: crer que Jesus, o filho do Homem, é o Cristo, o Filho de Deus. Esta pessoa crê que Deus se encarnou no Jesus histórico.

Sim, só um Deus encarnado poderia assumir a redenção do Seu povo. Segundo Alexander MacLaren,

a cruz é o centro da história do mundo. A encarnação de Cristo e a crucificação de nosso Senhorsão o centro ao redor do qual circulam todos os eventos de todos os tempos.”

Se Cristo não fosse crucificado no Jesus histórico não haveria a menor possibilidade da salvação do pecador, pois este precisa morrer juntamente com Cristo.

Crer que Jesus é o Cristo é o cerne da fé cristã. Apolo pregava Jesus com certa precisão, mas quando Aquila e Pricila o viram pregando, expuseram com mais exatidão a realidade da fé cristã, o que fez com que o fervoroso Apolo saísse dali com outra ênfase em sua mensagem, porque, com grande poder, convencia publicamente os judeus, provando, por meio das Escrituras, que o Cristo é Jesus.Atos 18:28.

Martinho Lutero dizia muito bem: “o mistério da humanidade de Cristo, o fato de ele ter descido ao ponto de revestir-se de carne humana, está além de toda compreensão humana.” Mas a encarnação do Verbo é a via que nos leva ao encontro de Deus na cruz. É só aí que a humanidade pode ser reconciliada com a Trindade.

O gnosticismo tenta negara humanidade de Cristo, porque acredita que o corpo seja mau e que Cristo não veio em carne. Foi neste contexto que o apóstolo João diz: toda aquele que crê que Jesus, o homem, é o Cristo, Deus, é nascido de Deus.

Para A. W. Tozer:

a aterradora majestade da divindade foi misericordiosamente revestida do macio invólucro da natureza humana, a fim de proteger a humanidade.”

Se eu amo ao Pai, preciso amar a Cristo Jesus a quem o Pai o gerou em carne. O espírito bom e a carne caída fazem parte do plano para a redenção do pecador. Pois, em Cristo, Deus estava reconciliando consigo o mundo, não levando mais em conta os pecados das pessoas.