O ESPÍRITO DA CRUZ .97 – O CREDO E A CRENÇA

Há muitos cristãos que têm uma boa experiência com Cristo, mas não têm sinal de boa doutrina. São crentes, sim, embora lhes falte um conhecimento legítimo da fé cristã. Outros têm um farto conhecimento da boa doutrina, mas não mostram nada da vida com o Senhor. Há forte saber teológico e nenhuma intimidade com Ele. Falam bem da credo, mas não demonstram, no viver diário, a crença no Senhor. O credo é correto, a crença é falsa.

Há, todavia, aqueles que, além de conhecer pessoalmente o Senhor, conhecem a sã doutrina de modo salutar e saudável. São pessoas que têm experiência com Cristo e com conhecimento das doutrinas de Cristo. Falam de Cristo e falam com perfeita adequação.

A igreja hoje carece muito de crentes com uma boa crença e um bom credo. Não basta dizer que crê, é preciso demonstrar com coerência as bases da sua piedade.

O apóstolo Pedro disse aos que estão sendo cobrados de bom testemunho: antes, santificai a Cristo, como Senhor, em vosso coração, estando sempre preparados para responder a todo aquele que vos pedir razão da esperança que há em vós, 1 Pedro 3:15.

Crer e responder. Fé sincera e resposta sadia. Há razões que a razão desconhece, todavia não há razão pra não se responder com razoabilidade àqueles que nos pedirem a razão da nossa esperança. Precisamos ser coerentes com o que cremos e claros em expor aquilo que cremos, mas sabendo que nem sempre a nossa exposição explicará a nossa fé.

Prefiro aquele que crê na suficiência de Cristo, ainda que não saiba explicar de modo, suficientemente claro a sua fé, do que aquele que sabe explicar a doutrina, com toda a maestria, e, mesmo assim, ninguém fica convencido de sua crença. Ouvi alguém dizer de um pregador convincente: “sua pregação é certinha, porém a sua vida é tortinha” e riu.

Riu de que? É triste. Veja a diferença entre um religioso e Jesus. O fariseu: Fazei e guardai, pois, tudo quanto eles vos disserem, porém não os imiteis nas suas obras; porque dizem e não fazem. Mateus 23:3. Veja agora de Jesus:

Escrevi o primeiro livro, ó Teófilo, relatando todas as coisas que Jesus começou a fazer e a ensinar. Atos 1:1.

O religioso ensina certo, mas vive torto. Jesus vive o que ensina. O primeiro só prega correto, mas não vive o que prega. O segundo vive segundo o que prega; não há um pingo de incoerência em sua mensagem. Jesus encarna a pregação que prega.

Thomas Arthur disse e disse muito bem, que “quem salva a alma não é o homem que traz a Palavra, mas a Palavra que ele traz”, todavia, se o homem que traz a Palavra não a encarna, ela não terá muito sentido na edificação daqueles que foram salvos. Assim, não basta pregar a Palavra corretamente, é preciso vivê-la no interior, inteiramente.

Mendigos, não é suficiente ter o credo correto, é preciso viver a sua crença. Viva você o que crê e a sua crença dará respaldo ao seu credo.

Do velho mendigo GP.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s