O ESPÍRITO DA CRUZ .84 – O PRAZO DE VALIDADE

A enciclopédia Wikipedia dá a seguinte informação sobre alguns produtos: “o prazo de validade é o tempo de duração dado à comidas, bebidas, remédios, tintas e outros itens perecíveis antes de serem considerados inadequados para venda ou consumo. Em algumas regiões usam-se expressões como, “melhor usar antes de…” ou “data de utilização…” é necessária em alimentos perecíveis embalados”.

“O prazo de validade é o tempo que os produtos podem ser armazenados, durante o qual, a qualidade definida de uma determinada proporção das mercadorias permanece aceitável, ao abrigo do esperado (ou especificados), para as condições de distribuição, armazenamento e exibição”. Todos estes produtos têm um tempo válido.

O problema é que, no caso dos fármacos, este tempo de validade não é dado, muitas vezes, pelo o vencimento exato dos componentes, mas pela lei de mercado. Há alguns remédios que são descartáveis, muito tempo antes de expirar a sua eficácia. Mas, como não somos especialistas, jogamos no lixo muita coisa boa e perdemos grana.

Agora temos uma questão a considerar aqui. Há algum tempo de validade que defina a nossa salvação? Podemos perder a salvação da nossa alma? A vida eterna tem um prazo de conservação? Com o tempo, ela se estraga? That’s the question…

Muitos acreditam que a salvação da alma dependa da perseverança do crente, outros creem que a perseverança do crente depende da salvação da alma. Aquele que vê a salvação como um produto conquistado pelo freguês, vê a perseverança como garantia da salvação, contudo, todo aquele que percebe, que a salvação é uma dádiva eterna de Deus, percebe que a perseverança do santo é consequência da eternidade da salvação.

Toda pessoa falível, que precisa sustentar a sua fidelidade, pode perdê-la a qualquer momento. Se a fé for um produto de um ser caído, ela está sujeita a deteriorar-se com o tempo, porém, se for uma realidade da graça de Deus, ligada à vida eterna, não há nada neste mundo perecível que a possa torná-la inválida. O eterno não tem prazo…

A criação do ser humano estava suscetível a queda, pois dependia de crença do homem em Deus, mas, a salvação do incrédulo não depende de sua fé, uma vez que este está morto espiritualmente e incapaz de crer. Todavia a salvação dada por Deus está totalmente ancorado na suficiência de Cristo e jamais poderá perder o prazo de validade.

É tão confortável pensar como pensava o puritano Thomas Brooks, do séc 17:

No último dia, Cristo será responsável por todos os que lhe foram dados; portanto, não precisamos duvidar de que ele, certamente, empregará todos os poderes da sua Divindade para dar segurança e salvar a todos aqueles de quem deverá prestar contas.”

Que segurança eterna, irmãos!!!

Do velho mendigo, GP.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s