O ESPÍRITO DA CRUZ. 66 – Aos Convertidos…

A conversão tem duas vertentes: uma humana e outra divina. Há muitos que se convertem a algum sistema, outros são convertidos por Deus, para Deus. A conversão do homem pelo homem é auto-produzida: eu me converti. É também auto-destrutiva: perdi a salvação. O homem que se converte pode desconverter-se. É ele quem sustenta a sua fé.

Há, também, muita gente que se convence que foi convertida. Isso é um auto-convencimento. Eu preciso analisar muito bem, se a minha conversão está baseada num convencimento pessoal que tive ou no convencimento do Espírito Santo, que me levou ao arrependimento da minha auto-confiança. Pode-se fazer um prosélito com certa facilidade de convencimento, o que ninguém pode fazer é um convertido. Só o Espírito Santo pode.

Nas igrejas, hoje, vemos uma turma grande que foi convencida a se converter por algumas estratégias de persuasão. Os apelos apelativos têm sido usados como meios de auto-convencimento. Emoções ou sentimentos servem como aferidor de que a pessoa se converteu. Mas isto não prova que alguém foi convertida. Veja o chororô de Esaú.

Há ainda aqueles que foram convencidos a serem convertidos. Não se trata de mera emoção, mas de forte invicção. É gente bem instruída e capaz de demonstrar a sua capacidade explicativa de uma possível transformação. O problema aqui é que a vida não mostra o espírito da cruz na pessoa. Há um homem velho obeso saindo pelos poros.

O profeta fala da conversão em 1º lugar, como uma ação Divina. Converte-nos a ti, Senhor, e seremos convertidos. Lamentações 5:21. Só depois que eu for convertido, pelo Senhor, é que posso viver me convertendo. A vida cristã é uma jornada permanente de conversão ao Senhor. Deste modo, nós fomos convertidos a nos converter a Cristo.

Jeremias é claro nesse ponto: converte-me, e serei convertido, porque tu és o Senhor, meu Deus. Não podemos nos converter, sem antes sermos convertidos. A nossa conversão, ao Senhor, é resultado da conversão dada pelo Senhor a nós.

Sempre fiquei intrigado com uma passagem. Jesus diz: o coração deste povo está endurecido e eu falo por parábolas, para que vendo não vejam e ouvindo não ouçam e se convertam e sejam por mim curados. A questão é: então, o Senhor não quer que nós nos convertamos? Parece que só podemos nos converter, depois de sermos convertidos.

Jesus não está por aí catando eleitores para votarem nEle no dia das eleições. Tudo faz crer que Ele veio buscar os Seus eleitos, nEle, desde a eternidade. Não se trata de gente que se convence e se converte, mas daqueles que foram convertidos pela graça e se convertem como resultado de uma tão grande salvação operada por eles e neles.

Mendigos, ninguém pode se converter sem que seja convencido pelo Espírito e convertido pelo poder alto, pois não há auto conversão a Deus.

Do velho mendigo, GP.