espírito da cruz 43 – elogios? quero!

in-elogio-1764x700

Eu não sei, mas acho que, no fundo, sou movido a elogio. Eu o temo, todavia, o espero. Mesmo sabendo dos seus tentáculos e fugindo dele, me vejo, no íntimo, à sua cata. Quando o recebo, finjo que não é comigo, mas gosto de ser apreciado. É loucura!

Conversando com outro viciado em confetes, disse-me ele: mas quem não o é? O genro humano carente, carece de aprovação. Somos todos consumidores de elogios.

A Bíblia diz que o ser humano é provado pelos louvores que recebe. De fato, o que mais pesa para o orgulho, não são as críticas, mas os aplausos. Alguém disse: “Não há limite para o bem que um homem pode fazer, se ele não se importar com quem recebe os louvores.” A prova dos nove da libertação é ser o pai da criança e outro ter as honras.

“o ser humano é provado pelos louvores que recebe.”

Ouvi um sussurro quase inaudível: – aquela ideia foi minha, mas, fulano de tal é quem está recebendo os louros. Então bradou: Não é justo! Nada pode ser mais cruel e indigesto do que você pintar o quadro e ver outro assinando a tela e recebendo o prêmio.

Li sobre um jovem escritor talentoso, que não teve vez no mercado publicitário e viu os seu livros editados por um renomado escritor feito pela mídia ao custo da fortuna e prestígio de seu pai. O moço vendeu por uma bagatela os seus manuscritos, enquanto o ilustre midiático ganhava os tubos com o talento do jovem ghost writer.

Mas essa história não termina na falência moral. Aquele jovem não se deu por vencido, nem se fez de vítima. Ele aprendeu com Jesus e com o espírito da cruz. Sem se ressentir com o caso, trabalhou com mais afinco, corrigindo os seus defeitos e teve uma nova chance, quando um editor famoso resolveu ler o seu trabalho e ficou maravilhado.

Ouvi contar de um pintor que viu o seu atelier incendiado. Dizem que ficou ali a olhar as chamas consumirem as suas obras de anos, enquanto alguns amigos tentavam consola-lo; ele teria dito: – essas chamas estão queimando apenas os meus defeitos. (Se é verdade, não sei, mas disseram-me que foi com Monet. Até pesquisei no Google!)

Claude_Monet,_Saint-Georges_majeur_au_crépuscule.jpg

Agora quero voltar à carência dos aplausos. Por que será que nós, geralmente, nos alegramos mais com os elogios do que com as críticas? Parece que nossa bem-vista autoestima não é sustentada por nós, mas pela opinião dos outros. É a estima alheia que mantém a nossa. Nós nos nutrimos do que os outros pensam de nós. Seria isto?

Então, se assim for, precisamos da obra da cruz em nossa vida. Não estou aqui me referindo à boa teologia da cruz, mas do espírito da cruz. Não basta o saber correto, o que é imperioso, agora, é o viver correto, no espírito, como um crucificado.

Mendigos! Alguém disse: – “não somos salvos pela sinceridade, mas podemos nos perder pela insinceridade”. Indago: o que nutre sua alma? É a proeza elogiada ou a vida de Cristo mediante sua morte pra o eu?

Do velho mendigo do vale estreito,

Glenio.

curta a página no Facebook

2 comentários sobre “espírito da cruz 43 – elogios? quero!

  1. .. realmente é o nosso ego que toma o lugar que deveria ser preenchido por J C em nós.
    que a sua Graça seja suficiente em nós para que possamos dar a ELE o lugar que lhe é devido.

    Que esse ministério Palavra da Cruz frutifique em graça e verdade, continuamente

    Graça e Paz, Pr. Glenio.

    Ruth Moraes Silva, Terra Rica PR

  2. Sinto grande necessidade de elogiar o presente trabalho, mas não o farei por motivos óbvios
    Glórias a Deus !

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s