espírito da cruz 14 – fé ostentação

Temos procurado analisar aqui o espírito da cruz, como o estilo cristão de vida. O que caracteriza a fé que uma pessoa tem em Cristo é a maneira efetiva como ela vive sob os efeitos da crucificação do ego com Cristo. Não mais eu, mas Cristo vive em mim.

Todos, na igreja, querem ser beneficiados com o poder da vida ressurrecta de Cristo, embora, poucos queiram receber os estigmas da cruz, em seu modo de ser. Mas, a vida que nasce da tumba, não se expressa, sem que a cruz extermine o velho Adão. É aqui que reside toda a eficácia do Evangelho: – não ser um exibido do seu cristianismo.

A fé alardeada é ostentação da crença. Ninguém pode viver sadiamente a vida cristã sob as luzes dos holofotes e os aplausos da plateia. Nada de espetáculo ou show. Tudo é discreto, nos bastidores, fora dos olhares curiosos e sem notoriedade.

Mesmo as atividades públicas, como a pregação, precisam contar com um sutil sequestro do pregador, realizado pelo Espírito Santo. Ainda que os pregadores estejam à frente da congregação, eles necessitam estar escondidos com Cristo em Deus. Todos os que foram chamados por Deus para o Seu ministério têm que sair de cena, para que só o Senhor seja totalmente visto através desses Seus instrumentos.

ostentaçao

Cristianismo é Cristo vivendo no cristão. Não se trata de: “em seus passos que faria Jesus”, mas da internalização da vida de Cristo naquele que já tenha sido crucificada com Cristo. Mas, tudo isto, é feito por Deus, de modo subjetivo, no íntimo dos Seus filhos.

Uma dessas realidades espirituais, fora do palco, é a vida de oração. Jesus foi explícito quando disse: quando você for orar, entra no seu quarto, fecha a porta e ora ao seu Pai que está em secreto e seu Pai, que vê em secreto vai lhe escutar e recompensar.  Fica claro que a oração é, antes de tudo, intimidade com Deus, sem testemunhas.

Aqueles que têm vida de comunhão com a Trindade, não têm a necessidade de expor o seu relacionamento íntimo para receber aprovação de terceiros. Nessa cabine de oração particular não cabe espiões ou vigias, nem mesmo se deve contar, para os outros, aquilo que foi comunicado como os segredos do coração penitente.

Os verdadeiros intercessores nunca publicam os seus hábitos de oração, muito menos, fazem striptease da sua intimidade para chamar a atenção. O espírito da cruz tem como princípio manter os crentes em Cristo cobertos pela vida de Cristo, enquanto levam o morrer de Jesus em seu estilo de viver. Não há exibição na vida de oração.

Mendiguinhos, se quisermos aprender a orar, tendo o espírito da cruz como um legitimador da nossa fé, nada pode ser mais importante do que o ostracismo. É só sair do foco das lentes da câmera e entremos na câmara do refúgio secreto com o Altíssimo. Não será possível uma vida de oração propagandeada.

Do velho mendigo do vale estrito,

Glenio.

5 comentários sobre “espírito da cruz 14 – fé ostentação

  1. somente neste tipo de oração nós podemos nos desnudar perante a trindade e ver a simplicidade de um Deus tão maravilhoso e misericordioso para conosco

  2. Pastor Glênio, por que o senhor se autodenomina-se sob o codinome de “mendigo”? acredito que o senhor com a experiência que tem da Palavra de Deus, deveria repensar esse termo que ora usa. Sou cristã, nascida de novo, e como Jesus nos diz em sua Palavra somos “servos’, esse é o termo que todo cristão, seja ele quem for, deve usar antes de todos os títulos eclesiásticos ou secular.
    E,como resgatados do Senhor Jesus, S. Pedro diz: ” …somos povo adquirido por Deus, nação santa e sacerdócio real, para anunciar as virtudes Daquele, que os tirou das trevas, e nos transportou para o reino do Filho do seu amor…”
    A paz do Senhor Jesus.
    Rose-

    • Olá Rose
      Graça e Paz.
      A 1ª bem-aventurança diz: felizes são os pobres, porque são nobres no Reino do céus. A palavra grega para pobres ou humildes é ptochos que quer dizer alguém que vive de esmolas. No Reino de Deus, fortes são os fracos; ricos são os pobres; senhores são os servos e assim por diante. Ser um mendigo da graça é viver na dependência do Onipotente. Nada pode ser maior para os filhos de Abba do que a suficiência de Cristo em suas vidas.
      Ser mendigo da graça neste mundo, é ser Sua Alteza na Casa do Amor. Sou apenas aprendiz de mendicância, ou seja, quero viver na dependência da suficiência de Cristo. Isto é me basta. Não quero ser mais do que um velho mendigo da plenitude de Cristo.
      No amor do Amado, do velho mendigo do vale estreito, Glenio.

  3. Estou na Alemanha, e me alimento todos os dias da palavra da cruz de Cristo, eu nunca fui a PIB londrina, e não sei como sinto saudades daí, vai entender, paz, por gentileza, permita-nos o Senhor ouvi-Lo ainda mais desse assunto.

  4. Também não conheço o Glenio nem a PIB Londrina,mas o amo e me sinto íntimo,não só dele mas de outros irmãos que nunca me viram e moram muito longe.Creio que a explicação disto está naquela fala de Jesus para João,que o ouvia com Maria ao lado,aos pés da cruz: “Mulher,aí está o teu filho,rapaz,eis aí tua mãe.”Creio que ali foram rompidos os laços de sangue os limites geográficos que nos impediam de ser uma grande família,pois ele foi o Primogênito de muitos irmãos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s