gotas de generosidade X

drops

Lucas, o médico dos Evangelhos, registra uma parábola de Jesus sobre a figueira que se exibia, mas era estéril. Depois de três anos de cultivo, nada de fruto na planta. Sendo a árvore uma espécie frutífera que ocupava um espaço no pomar, embora, sem nenhum pomo, o Dono do quintal achou que essa figueira era dispensável e ordenou ao horticultor que a tirasse do pedaço. Ele não queria mais essa fruteira sem frutos, em seu terreno.

Foi aí que o viticultor pediu tempo. Colocou-se à disposição do Proprietário para dar um jeito naquela situação. Iria estrumar e cuidar da planta por mais uma temporada, dizendo:

Se vier a dar fruto, bem está; se não, mandarás cortá-la. Lucas 13:9.

O Senhor da vinha dá anuência ao zelador, ficando quieto. Quem cala, consente. Uma nova chance foi dada à produtividade  e a figueira ganhou a oportunidade de se tornar, de fato, generosa. Sem fruto é que não podia ficar. Quem não frutifica, foice nela.

Tudo indica que Jesus estava apontando para o seu povo. O Judaísmo havia se tornado um arbusto inútil no jardim de Deus. Não tinha frutos. Um triênio do ministério de Jesus já havia se passado e nenhum figo na figueira de Israel. Eta povinho improdutivo!

Depois de alguns meses a estação da foice aconteceu na crucificação do velho Adão. Se alguém for desarraigado desse mundo, através da co-crucificação com Cristo, certamente irá renascer em novidade de vida, dando frutos bons e generosos. A vida que nasce da morte é frutífera. Não há esterilidade no âmbito de uma biografia ressurrecta.

Ser uma figueira, sem sequer um fruto, é ocupar um espaço em vão no pomar. Viver uma existência oprimida pelo medo de perder e sem o menor gesto de generosidade, é viver no mínimo, a encarnação da mediocridade. John Andrew Holmes foi preciso: “Não existe exercício melhor para o coração do que se inclinar e levantar pessoas”.

Ser generoso nos libera da tirania de nossas próprias necessidades, abrindo os nossos corações para os mundos desconhecidos, ocupados pelas necessidades dos outros. Não posso viver intensamente quando vivo só preocupado com o meu mundo estreito, mas repleto de egoísmo. Talvez eu tenha que concordar com Mark Twain: “O melhor modo de se animar é tentar animar uma outra pessoa”. Uma gota de afeto pode afetar a muitos.

Todos nós que somos mendigos, alcançados pela graça, temos oportunidades diárias de exercitar os bons momentos, dando alguma gota de generosidade. Mas não me venham com estas desculpas esfarrapadas de que – “já estou fazendo o bastante” – apenas para tirar o corpo fora da comissão: Por isso, enquanto tivermos oportunidade, façamos o bem a todos, mas principalmente aos da família da fé. Disse Paulo em Gálatas 6:10.

Plantem árvores frutíferas. Cultivem as que têm colheitas rápidas e ainda as tardias que vocês nunca comerão dos seus frutos.

No amor do Amado, do velho mendigo, Glenio.

Um comentário sobre “gotas de generosidade X

  1. Gotas de amor podem afetar a muitos…verdade gotas … no banheiro de casa tem uma torneira que esta pingando se eu colocar um balde vai pingar ate transbordar assim sera com gotas de amor !

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s