a trindade humana

eu DEUS

A Trindade Divina criou o ser humano à sua imagem e semelhança. Adão é uma pessoa tricotômica, isto é, composta de três partes e é também um ser coletivo. Ele foi feito do pó da terra como um corpo físico que recebeu o fôlego Divino em espírito e tornou-se uma alma vivente. Corpo, alma e espírito são os elementos indivisíveis da personalidade humana. Assemelha-se à composição da água, H2O.

Além desta tri-unidade individual, há uma trindade coletiva, pois Adão é um ser social. A família é o plural da humanidade. O pai, a mãe e a prole formam um conjunto de sujeitos. O indivíduo no conjunto familiar, não é mero ser avulso e solitário. A única dissonância na criação foi a possibilidade do isolamento pessoal: não é bom que o homem esteja só. Gênesis 2:18. Um tipo isolado é alguém desolado.

O ser humano singular é uma unidade orgânica de três partes harmônicas. O corpo, a alma e o espírito foram criados para a plena comunicação com a realidade correspondente à sua identidade. O corpo se comunica com o mundo material, o espírito com o plano espiritual e a alma, auto-consciente, se move no terreno subjetivo da esfera psíquica, arrazoando nos dois dialetos: físico e metafísico ou espiritual.

Elohim, o Deus coletivo, criou o macho e a fêmea como sendo um ser humano completo e comunitário. A tri-unidade pessoal se interage na trindade coletiva. O toque, o afeto e a comunhão são elementos essenciais para o desenvolvimento somático, psíquico e espiritual, co-responsáveis pelo incremento da intimidade coletiva da família. Sem o contato protetor suprindo as necessidades integrais dos três campos, não haverá saúde física, emocional e espiritual para o sujeito e, conseqüentemente, para a formação de outro núcleo familiar inteiro.

A trindade humana decorre da criação à imagem e semelhança do Deus triúno e a tri-unidade humana depende da atuação poderosa da Trindade Divina no ser humano. A raça adâmica não poderia viver independente da vida incriada de Deus, assim como uma bateria precisa de energia externa da usina elétrica para continuar funcionando. A Árvore da Vida era a alternativa para o suprimento permanente de uma personalidade condicionada à energia que não se esgota.

Mas o pecado desligou o espírito humano do Espírito de Deus e a criatura perdeu a sua fonte de energia estável. A alma ansiosa agora tenta dirigir a vida contaminada pela morte e consumida pelo egoísmo e as relações pessoais se tornaram complexas e profundamente tensas. Sem a vida da Trindade de Deus não há condições para uma existência de significado eterno. O finito só tem sentido se confiar a sua vida aos cuidados da soberana Trindade Divina.

O velho mendigo, Glenio.

4 comentários sobre “a trindade humana

  1. Prezado Pr. Glenio,
    Gostaria de saber a sua opinião a respeito desta argumentação contra a tricotomia humana, e caso possa, ajudar-me com esclarecimentos, do porquê não entendê-la como correta ou incorreta.
    ” (…) Quando olhamos para o uso das palavras bíblicas traduzidas por “alma” (hebraico, nefesh e grego, psyche) e “espírito” (hebraico, rûah e grego, pneuma), parece que elas às vezes são usadas indistintamente. Por exemplo, em João 12.27, Jesus diz: “Agora, está angustiada a minha alma” enquanto que em um contexto muito semelhante no capítulo seguinte João diz que Jesus “perturbou-se em espírito” (João 13.21). Semelhantemente, lemos as palavras de Maria em Lucas 1:46,47: “Minha alma engrandece ao Senhor e o meu espírito se alegra em Deus, meu Salvador”. Esse parece ser um exemplo evidente do paralelismo hebraico, um recurso poético no qual muitas vezes a mesma idéia é repetida usando palavras sinônimas, mas diferentes. Essa intercambialidade de termos também explica por que as pessoas que morreram e foram para o céu ou para o inferno podem ser chamadas “espíritos” (Hebreus 12.23 – “os espíritos dos justos aperfeiçoados”; também 1 Pedro 3:19 fala de “espíritos em prisão”) ou “almas” (Apocalipse 6.9 – “vi debaixo do altar as almas daqueles que haviam sido mortos por causa da palavra de Deus e do testemunho que deram”; 20.4 – “Vi as almas dos que foram decapitados por causa do testemunho de Jesus e da palavra de Deus”).

    Em adição a este uso indistinto das palavras alma e espírito, podemos também observar que o homem é visto como possuindo tanto “corpo e alma” como “corpo e espírito”. Jesus diz-nos para não temer aqueles que “matam o corpo, mas não podem matar a alma”. “Antes”, disse Jesus, “tenham medo daquele que pode destruir tanto a alma como o corpo no inferno” (Mateus 10.28). “Alma” aqui claramente deve ser entendida como referência à parte da pessoa que existe após a morte. Além disso, quando Jesus fala a respeito de “alma e corpo”, parece óbvio que Ele está falando a respeito da totalidade da pessoa, embora Ele não mencione “espírito” como componente separado. “Alma” parece equivaler à totalidade da parte imaterial do homem.

    Por outro lado, o homem é às vezes mencionado como “corpo e espírito”. Paulo quer que a igreja de Corinto entregue um irmão em pecado a Satanás “para que o corpo seja destruído, e seu espírito seja salvo no dia do Senhor” (1 Coríntios 5.5). Isso não significa que Paulo tenha se esquecido da salvação da alma do homem; ele simplesmente usa a palavra “espírito” para referir-se à totalidade da existência imaterial de uma pessoa. Semelhantemente, Tiago diz que “o corpo sem o espírito está morto” (Tiago 2:26), mas não menciona nada a respeito da alma existindo separadamente. Além disso, quando Paulo fala de crescimento em santidade pessoal, ele aprova as mulheres estão preocupadas em “serem santas no corpo e no espírito” (1 Coríntios 7.34), e sugere que isso cobre a totalidade da vida da pessoa. Ainda mais explícito é o texto de 2 Coríntios 7.1, no qual Paulo diz: “…purifiquemo-nos de tudo que contamina o corpo e o espírito, aperfeiçoando a santidade no temos de Deus”. Limpar a nós próprios da corrupção da “alma” ou do “espírito’ envolve a totalidade do lado imaterial de nossa existência (ver também Romanos 8.10; 1 Coríntios 5.3; Colossenses 2.5).

    De modo semelhante, tudo o que é dito que a alma faz é também dito que o espírito faz e tudo que é dito que o espírito faz é também dito que a alma faz. Os advogados da tricotomia enfrentam o problema difícil de definir clara e exatamente qual é a diferença entre a alma e o espírito (da perspectiva deles). Se a Escritura desse apoio à essa idéia de que nosso espírito é a parte de nós que diretamente se relaciona com Deus na adoração e na oração, ao passo que a alma inclui o intelecto (pensamentos), as emoções (sentimentos) e a vontade (decisões), então os tricotomistas teriam um argumento forte. Contudo, a Escritura parece não permitir que tal distinção seja feita.” (…)

    Texto na íntegra em: http://www.monergismo.com/textos/antropologia_biblica/tricotomia_grudem.htm

    Att,

    João

    • Sei que é assunto de rachar cabelo. A coisa é fina e nós queremos, com bisturi microscópico, separar os átomos indivisíveis entre a alma e o espírito. A questão é que a Bíblia explica a Bíblia. E na Bíblia vemos que a Palavra de Deus, como o bisturi de dois gumes, acaba separando uma coisa da outra. Ainda que sejam semelhantes parece que não são idênticas.
      Não sou daqueles que tentam dissecar a anatomia do homem espiritual nesta ou naquela corrente, mas vejo que a alma, como uma “realidade” composta do pó da terra com o sopro Divino, é versátil e poliglota, falando tanto a linguagem do corpo, com as suas emoções, como a língua do espírito, em seu modo imaterial. Talvez, por isso, o uso diversificado de suas manifestações. Essa é minha limitadíssima compreensão desse assunto, preferindo a tricotomia como a expressão da complexa identidade do ser humano.
      No amor do Amado, Glenio.

  2. Entendo que os que são contra a tricotomia humana usem os versículos citados pelo irmão João Nakamura como argumento, e que em alguns textos alma e espírito são usados com significados semelhantes, mas concordo totalmente com a resposta do Pr Glenio, quando diz que a só a Bíblia explica a Bíblia, e ela é bem clara quanto ao homem tripartido em textos como por exemplo: Hebreus 4:12 e I Tess 5:23 .
    Graça e paz a todos

    Erval Marcos de Mello

    “Pois a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais afiada que qualquer espada de dois gumes; ela penetra até o ponto de dividir alma e espírito, juntas e medulas, e julga os pensamentos e as intenções do coração.” (Hebreus 4:12)

    “Que o próprio Deus da paz os santifique inteiramente. Que todo o espírito, a alma e o corpo de vocês sejam preservados irrepreensíveis na vinda de nosso Senhor Jesus Cristo.” (1 Tessalonicenses 5:23)

  3. Agradeço muito o esclarecimento dos irmãos!
    Que Cristo vos continue iluminando e vos dando esse dom de ensino a nós!
    Abraços!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s